Home          Doença Celíaca e Sensibilidade ao glúten           Quem somos        Fale Conosco         

 

Doença Celíaca

Manual do Celíaco
Perguntas freqüentes
Materiais p/ Download
Sensibilidade ao glúten
Dieta sem Glúten
Dermatite Herpetiforme

Doença Celíaca e problemas bucais

Doenças associadas
Doenças Autoimunes
Diabéticos
Autistas
Síndrome de Down
Epilepsia
Alergia X Intolerância
Receitas sem Glúten 1
Receitas sem Glúten 2

Receitas para

Máquina de pão

Receitas diet s/ Glúten

Produtos sem Glúten

Onde Comprar
Notícias
Artigos Científicos
Artigos traduzidos
Livros publicados
Espaço Infantil
Leis e Documentos

Orientação para Restaurantes

 

 

Links Importantes:

clique para conhecer

 

 

Blog: Coleção de

 textos sobre glúten

 

 

RIOSEMGLUTEN

no

 

RIOSEMGLUTEN

no

 

 

Portal da

FENACELBRA 

 

Página da

ACELBRA-RJ

 

 

Guia de Restaurantes para Celíacos e Alérgicos em todo o mundo.

  

Revista

Vida Sem Glúten e Alergias

 

 

Informações para Turistas 

 

 Informaciones para los Turistas 

 

 Tourist  

 

 

Foto: Denise Videira

 

 

 

Laboratórios para análise de presença de glúten em alimentos:

 

LABCAL - UFSC

www.labcal-cca.ufsc.br/

labcal@cca.ufsc.br

 

 Rod. Ademar Gonzaga, 1346 Itacorubi - Florianópolis - SC CEP 88034-001

TEL (48) 3721-5391 

(48) 3721-5392 

FAX (48) 3334-2047

 

 

Food Intelligence - SP

www.foodintelligence.com.br

 

LABORATÓRIO DE ANÁLISE DE ALIMENTOS LTDA

Rua Pássaros e Flores, 141 Bairro Jardim das Acácias

São Paulo - SP

CEP 04704000

Tel (11) 5049.2772

Fax (11) 5049.2100

 

 

RECEITAS sem glúten

Blogs:

 

Sabores da Cozinha
sem glúten

(Josy Gomez)

 

Cozinhando sem glúten

(Gilda Moreira)

 

Receitas sem glúten e sem leite da Claudia Marcelino

 

 


Débora Pusebon

Sem gluten sem lactose

 

 

Sobre Diabetes e Doença Celíaca leia: 

Doença celíaca em um grupo de crianças e adolescentes portadores de diabetes mellitus tipo 1

Soroprevalência da doença celíaca em crianças e adolescentes com diabetes melito tipo 1

Manejo Nutricional no Diabetes associado à Doença Celíaca

clique: Palestra com a Nutricionista Fernanda Ferreira Corrêa

audio e slides  - fonte: site www.diabetes.org.br

 

 Parece haver uma ligação entre diabetes tipo 1 e doença celíaca.  Uma em cada  20 pessoas com diabetes tipo 1 tem doença celíaca. Mesmo na população em geral, incluindo pessoas com diabetes tipo 2, a taxa poderia ser tão alta quanto 1 em 250.

Você já esteve no seu médico tantas vezes, que ambos têm os sintomas memorizados. Você já esteve em vários especialistas, e mesmo assim não conseguiu descobrir o que o(a) aflige.

Talvez a causa de todos os seus problemas esteja em algum lugar da sua cozinha – na cesta de pão, no armário das massas, e na lata de biscoitos.

Alimentos feitos de trigo e alguns outros grãos contêm uma proteína chamada glúten. Se você tem a doença chamada celíaca, toda vez que comer algo que contenha glúten haverá uma reação que danificará o forro do intestino delgado. Os nutrientes não são absorvidos apropriadamente, e isto leva a uma série de problemas.

Muitas pessoas com a doença celíaca não conseguem diagnosticá-la logo. Há vários sintomas, que podem iniciar durante a infância ou quando adulto. Esses sintomas podem vir e ir.

Um dos sintomas clássicos é diarréia, mas não são todos que têm.

Outros sinais e sintomas:

  • Perda de apetite
  • Perda de peso
  • Em crianças, parada no crescimento
  • Irritabilidade (algumas vezes o único sintoma em crianças)
  • Fadiga
  • Depressão
  • Anemia
  • Erupção Cutânea
  • E para pessoas diabéticas, uma inexplicável baixa de açúcar no sangue (hipoglicemia)

Se você acha que tem a doença celíaca, discuta essa possibilidade com seu médico. Testes de sangue e uma biópsia do intestino delgado pode revelar se a pessoa tem a doença. A doença celíaca não é a única causa de diarréia crônica. Outras possibilidades:

  • Intolerância à lactose
  • Gastroparesis, uma complicação da diabetes
  • Síndrome de irritação do intestino
  • Doença de Crohn
  • Estresse
  • Infecção viral
  • Infecção parasitária

 

Sem Glúten

Se você necessita de mais evidências para diagnosticar a doença, você precisa ficar sem glúten. Não é fácil. O glúten é encontrado no trigo, centeio, cevada, possivelmente aveias, e alguns outros grãos. Isso significa todas as farinhas comuns encontradas em pães, biscoitos, crackers, e massas.

Você não pode só reduzir o consumo de glúten; sua dieta tem que ser 100 porcento sem glúten. O dano no intestino devido a um alimento com glúten leva tempo para curar. É este dano que leva aos sintomas, e estes, continuam mesmo depois que um alimento com glúten estiver fora do seu sistema.

Se você segue uma dieta sem glúten por 5 dias e come um biscoito numa festa, seu intestino irá sofrer.

Algumas medicações contêm glúten. Verifique junto ao farmacêutico ou ao laboratório que fabrica os remédios que você toma, para saber se algum deles tem glúten. Se tiver, não pare de tomar o remédio. Converse com seu médico para saber o que fazer.

Pessoas com diabetes enfrentam um desafio adicional para se manter sem glúten. Você estará mudando muitas das usuais fontes de carboidratos. Isto afetará muito o nível de açúcar no sangue.

Logo, se você realmente tem a doença celíaca, seria muito melhor obter um diagnóstico preciso. Você terá mais razão de se comprometer com uma dieta, e você pode ter um médico para orientá-lo(a) nas mudanças necessárias na sua dieta.

Uma forma de fazer dieta sem consumir glúten, é não comer produtos em embalagens fechadas e não comer fora de casa. Coma somente alimentos feitos em casa. Coma legumes simples, frutas, carne, peixe, ovos, e arroz. Esses alimentos são naturalmente sem glúten.

Se você não pode deixar de comer os empacotados, você terá que ler sempre os ingredientes que compõem o produto a ser consumido. Quando verificar os ingredientes, siga a regra: “Não tem certeza? Não coma.”

Há muitos produtos em cuja embalagem vem escrito “Sem Glúten” ou “Glúten- Free”.

Mantenha a lactose baixa

O dano no intestino para quem tem a doença celíaca leva à intolerância da lactose, o que significa que você não está hábil para digerir o tipo de açúcar achado no leite e outros produtos diários. Os sintomas são diarréia e gases.

Preste atenção para a contagem de carboidratos

Leia os rótulos de Informações Nutricionais para saber a contagem de carboidratos. Não pense que um sanduíche feito com pão sem glúten tenha a mesma quantidade de carboidratos do que um sanduíche feito de um pão habitual.

Evite o álcool

Os álcoois feitos de grãos (cerveja) contêm glúten. O álcool pode causar efeitos inesperados nos níveis de açúcar no sangue, e você já terá o suficiente, sem isso. Considere ficar sem álcool durante o teste.

Está se sentindo melhor?

Após uma dieta estritamente sem glúten, pode levar 2 ou 4 semanas para você se sentir melhor, apesar de algumas pessoas se sentirem melhor dentro de alguns dias. Depois de se sentir melhor, não “desafie” seu corpo comendo uma grande quantidade de alimentos com trigo para ver o que acontece.

Se você realmente tiver a doença celíaca, você pode acabar mais doente do que antes. Assim que você se sentir melhor, consulte seu médico e obtenha uma indicação de um médico gastroenterologista. Testes de sangue que mostram como você reage ao glúten pode agora dar negativo, porque você estava sem comer alimentos com glúten.

Não espere muito para ir ao médico, pois se o intestino delgado curar, uma biópsia pode não ser exata. Logo, não demore para consultar um médico.

 

Antes de qualquer atitude, não deixe de consultar um médico.

  Material copiado do site   www.diabete.com.br 

 

 

 

Empresas que

apoiam o Projeto

"Celíacos na UEZO"

 

 

 

 

 

Organizações

 que apoiam o projeto
"Celíacos na UEZO":

Site www.riosemgluten.com

 

 

 

Licença Creative Commons
This work by www.riosemgluten.com is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License.

                                                                                                                                Última atualização: 12 julho, 2014